30 de nov de 2008

Cores - Parte 2

Hoje o post é sobre as cores nos ambientes, complementando o último posto, do dia 20/11.

Ambientes Residenciais

Nesses ambientes, as cores empregadas são relacionadas à personalidade dos moradores, funções dos ambientes e efeitos pretendidos. Já não existem mais regras quanto a isso, e o que observo tem sido uma crescente tendência em ousar, em conferir personalidade ao ambiente de forma pessoal e lúdica. Para acentuar um ou outro efeito pretendido, deve-se usar as cores, citadas no post anterior, aliadas às preferências do cliente.

Cor na Indústria

A produção de um operário é diretamente proporcional às condições ambientais da indústria em que trabalha. Com o uso das cores, pode-se atuar diretamente sobre as reações fisiológicas e psicológicas do trabalhador: evitando a monotonia cromática atua-se também contra sensação de fadiga visual, que contamina a disposição física, o interesse e a concentração.

Cor em Hotéis

Geralmente busca-se imprimir no design de interiores dos hotéis um clima de acolhimento, ao mesmo tempo que se pretende conferir "toques pessoais" aos ambientes, dando a entender que cada local foi pensado para receber o hóspede. Assim, evita-se a monocromia e o aspecto frio dos ambientes, sugestionados pelo excessivo uso do branco, por exemplo, sem a preocupação com o uso de cores que venham conferir personalidade e pessoalidade aos ambientes.

Cor em Restaurantes

A harmonia e as tonalidades a serem escolhidas para os restaurantes devem dialogar com o estilo gastronômico do local. Não há restrição de uso de cores, contudo prefere-se aquelas que são estimulantes do apetite, ou cores que, aliadas à iluminaçãoi, confiram um clima acolhedor.

Cor em Estabelecimentos Comerciais

A identificação do perfil do estabelecimento e as questões relativas à subjetividade podem ser bastante auxiliadas com o emprego correto das cores. Embora não seja o que vemos com frequência, cores fortes e contrastantes na fachada podem causar o efeito contrário à atração da clientela: pode-se afugentá-la, caso a combinação seja indelicada o suficiente para transmitir a sensação de poluição visual (e consequentemente não comprometimento com questões urbanas e sociais, refletindo no atendimento ao cliente).
Deve-se considerar também as características dos produtos a serem vendidos, pois estes comporão, juntamente com as cores e os revestimentos, todo o sistema de comunicação visual do local. Em geral, se os produtos forem muito coloridos, é mais adequado que as cores das paredes sejam neutras. Se deseja setorizar o estabelecimento de acordo com os produtos e serviços, fazê-lo através do uso de cores distintas pode ser uma boa pedida.

Cor em Ambientes de Atendimento à Saúde

A fama de "clima de hospital" é algo que vem sido evitada, através do emprego de cores suaves e acolhedoras sem, entretanto, comprometer os aspectos relativos ao atendimento e necessidades do local, estabelecidos por normas técnicas. Em geral, tem sido empregadas cores claras e luminosas, tons pastel relaxantes e que evitem a fadiga visual dos profissionais da saúde. O Feng Shui tem sido empregado, e sua sugestão para os ambientes com finalidade de cura são os tons esverdeados.

Cor em Aviões

Para evitar a Síndrome da Queda, são empregadas cores que transmitem estabilidade, como o verde, e que fazem alusão a terra, tais como tons alaranjados, amarelos terrosos e vermelhos queimados.

Cor em Navios

A cor verde equilibra a Síndrome do Pêndulo, obtendo-se ainda mais estabilidade ao empregar o vermelho, forte atrativo visual. Tanto em navios como em aviões evita-se o emprego do azul.

Espero que com essas informações, você possa usar a cor como um elemento de ajuda na sua vida, seja na pessoal, seja na profissional.

OBS:
- informações da Escola Arte São Paulo;
- foto do site: http://webatomic.blogtv.uol.com.br/2008/01/16/como-capturar-a-atencao-dos-usuarios-com-cores

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para dúvidas, sugestões, comentários ou qualquer outra informação que achar importante, deixe sua mensagem aqui!